Avisos:

A Banda de Amarante vai apresentar-se em Peroselo, Penafiel, para a festa em honra da Nª Srª da Visitação, no próximo dia 7 -- VI Estágio de Verão e Curso de Aperfeiçoamento de Sopros e Percussão (este ano com o maestro José Rafael Pascual Vilaplana) de 19 a 23 de Agosto -- Banda Musical de Amarante - Vencedora do 1º Prémio/III Escalão do IV Concurso Internacional Ateneu Artístico Vilafranquense e Prémio Tauromaquia

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Diabos à solta

"Ouvi dizer que não tendes mais festas..."
Está mal. A Banda teve mais uma festa. Após um aclamado e extenuante estágio de Verão, a Câmara solicitou a Banda Musical de Amarante para abrilhantar a procissão dos Diabos à Solta, de modo a não quebrar de novo uma tradição que fora retomada no ano passado.
Com o estágio ainda fresco na memória, com os concertos como tema de conversa no seio da formação, a Banda apresentou-se ao serviço com a ajuda de mais três músicos, de modo a preencher as lacunas nos trombones, trompas e trompetes.
Sem tempo para ensaiar marchas fúnebres, a Banda seguiu ao somd e marchas de rua. O público aplaudiu na mesma. As condições nao seriam as melhores. O ambiente impossibilitava uma afinação perfeita e o aperto da multidão impedia a formação alinhada da Banda. Seguiram, ainda assim, rua abaixo, pelo tradicional percurso romeiro da cidade, isto é, de sta. Luzia ao largo António Cândido, regressando ao largo de S. Gonçalo. Na romaria seguia uma multidão de "diabos", seguida de mais figuras alegóricas, de dois carros de bois com as estatuetas dos diabos de Amarante e, não esqueçam, da Banda. À chegada a S. Gonçalo, a animação fazia ecoar a voz do mestre de cerimónias pelo largo e a reprodução da tradição seguia-se. Os diabos pediam ao S. Gonçalo a autorização para a festa pagã no largo e o santo assim a concedia, iniciando o baile com dança com a "diaba".
Face à necessidade de música popular para animar o povo e à solicitação para a Banda abrir o baile, executou-se o Festival de Bandas da Feira Popular de Lisboa, uma pequena obra com Medley de números populares.
Após isto, a Banda passava o testemunho aos outros intervenientes na festa, arrumando a "casa" e partindo para a sede.
Apesar do belo efeito junto ao público, os músicos encontravam-se estafados. Era o fim de uma semana longa e cheia de trabalho e, certamente, andar no meio da multidão, com dificuldades para alinhar, com obstáculos de fezes, entre outros, pelo meio, não é dos serviços mais gratificantes. Mas é assim que se vê quem é só um músico e quem tem vida para uma banda.
Termina assim esta festa e, consequentemente, esta aventura que começara no dia 18. Agora ficam as histórias para contar e, certamente, o desejo de mais.

1 comentário:

hatmavalley disse...

bravo senhores! também me soube lá...mãe da queimada.este ano o comando ser-me-á maior,por isso queria urgentemente contactar-vos.digam-me como por favor...deixo-vos o meu e-mail,contactem-me por favor; hatmavalley@hotmail.com...estou á vossa espera.
um abraço vivacce